quinta-feira, 19 de agosto de 2010

#Desabafo

Oi. Faz tempo que não venho aqui. Hoje vou fazer diferente. Não vou postar um texto bonito, nem nada. Vou apenas desabafar. Tem muita coisa presa na minha garganta. Tem muita coisa presa na minha mente. Muita agonia, muita tristeza, muita dúvida. Por isso resolvi escrever. Deixar que os sentimentos tomem conta das minhas palavras e que vão se formando as frases. Vão ficar sem sentido, estranhas, mas será um desabafo. Muita coisa tem me acontecido. Coisas ruins e que me atrapalham. Se você olhar para a minha cara não verá que isso acontece comigo. Vai achar que tenho tudo o que gostaria, sonhos se realizando, muita felicidade. É o que eu tento transparecer pelo menos. Tudo o que eu queria era apenas alguns gestos, algumas palavras e algumas atitudes. Não de alguém específico. Mas sim de todos. Precisava de uma compreensão, de um abraço ou até mesmo de um sorriso. Mas não quero deixar a culpa só para os outros. Muitas coisas vem de dentro de mim. Dos meus pensamentos, das minhas dúvidas. Queria tirar essa pressão das minhas costas, deixar tudo mais tranquilo. Queria estar mais calma, pensar com mais clareza. Queria tirar essas esperanças e ilusões de dentro de mim. Elas só me fazem sonhar com coisas que não fazem sentido. Queria ter alguma meta, algum objetivo alcançável. Alguma coisa que eu possa contar os dias e as horas. Algo que eu possa esperar e SEI que vai acontecer. Algum sonho que está perdido na minha mente. Muitas coisas estão comprimidas dentro de mim e eu não consigo colocá-las para fora. A única solução seria despejá-las em forma de lágrimas, mas nem isso consigo mais. Vou só acumulando coisas e mais coisas até uma hora que não vou conseguir mais. Queria achar uma solução para isso. Juro que gostaria. Mas não consigo. NADA me parece confiável o suficiente para depositar minhas angústias e dores. NADA me parece confortável para despejar minhas mágoas, minhas lágrimas. Enquanto me contento com esse NADA, vou fazendo do meu travesseiro meu mais confiante e confortável amigo.

Nenhum comentário: